Como já é costume há alguns anos, a Extremadura celebrou o dia de Portugal com diferentes atividades em que o país vizinho é protagonista.

Exposições e visitas guiadas

Elvas acolheu uma exposição de obras premiadas no passado Concurso Transfronteiriço Jovens Criadores, o Museu de Olivença apresenta uma amostra do artista português Carlos Godinho e a Biblioteca Pública de Badajoz resume a História do Fado em 20 grandes cartazes.

 

No dia 10 de junho, a cidade de Cáceres teve duas visitas guiadas com forte sotaque português: o Museu de Cáceres (Plaza de las Veletas) ofereceu vários passes com explicações em português e o Museu de Arte Contemporânea Helga de Alvear fez uma visita em que mostrou a obra do artista português Carlos Bunga.

Dia de Portugal 2021

Cinema em português na Filmoteca de Extremadura

Dois filmes portugueses estiveram em cartaz durante o mês de junho na Filmoteca de Extremadura. O Technoboss de João Nicolau esteve presente nos espaços de Cáceres e Badajoz, enquanto o documentário Correspondências, de Rita Azevedo Gomes, esteve também nos espaços habituais da Filmoteca em Mérida e Plasencia, para além das duas capitais de província.

Literatura

A recente vencedora do Prémio Rainha Sofia de Poesia Ibero-Americana, a portuguesa Ana Luísa Amaral, protagonizou um encontro organizado pela Editora Regional na tarde de 10 de junho. Nessa mesma manhã foi o romancista português João Tordo quem participou no IV encontro dos clubes de leitura em português da Extremadura, discutindo com os seus leitores o seu romance As Três Vidas.

As Feiras do Livro que se realizaram na região tiveram também Portugal como protagonista com autores portugueses como Renato Filipe Cardoso, de quem acaba de ser publicada Mano Criminal, uma antologia poética bilingue traduzida por Leonor López de Carrión.

Além deste autor português, merece ainda destaque a apresentação de Uma viagem pela Raia, de José Ramón Alonso de la Torre. É uma viagem pelos 1.214 km da fronteira hispano-portuguesa cheia de histórias, curiosidades e dicas para o viajante, além das fotografias de Esperanza Rubio e um epílogo de César Rina sobre a fronteira.

Documentos adjuntos