09 Maio 2024
Presentación del 41 Festival Ibérico de Música de Badajoz - 2024

A 41ª edição do Festival Ibérico de Música de Badajoz foi apresentada em Badajoz, que este ano oferece uma proposta que revisita o passado musical conjunto de Espanha e Portugal a partir de uma perspetiva contemporânea, com uma programação que inclui os programas de música antiga "Rediscovering Spain" e "Diáspora portuguesa", a atuação da Orquestra de Extremadura com a solista Ana Vidovic e o seu olhar sobre o Concerto de Aranjuez do maestro Rodrigo e o já tradicional "Música en la calle/Música na rua". 

Foi o que afirmou o Secretário-Geral da Cultura, Francisco Palomino, que assistiu à apresentação da edição deste ano no Teatro López de Ayala, em Badajoz, numa cerimónia em que esteve acompanhado pela directora do López de Ayala, Paloma Morcillo; pelo vereador de Cultura de Badajoz, José Antonio Casablanca; pelo deputado de Cultura, Ricardo Cabezas, e pelo diretor do festival, Javier González Pereira. 

Durante a sua intervenção, Francisco Palomino destacou o magnífico cartaz proposto pelo festival, "intenso e atrativo", que pode ser apreciado tanto em palcos como o López de Ayala e o Palácio de Congressos como na rua. Salientou também a importância do Festival Jovem, uma proposta incluída no próprio festival que permite a descoberta de novos músicos. 

Casablanca, por seu lado, sublinhou a importância da união da música entre Espanha e Portugal levada a cabo por este festival e a sua presença nas ruas de Badajoz. O evento terá lugar na capital de Badajoz de 2 a 9 de junho, bem como nas cidades de Cheles e Alconchel

Esta edição terá início com "La Maquiné", que apresentará "La casa flotante", um espetáculo para o público infantil e familiar, no Teatro López de Ayala, às 12h00 do primeiro domingo de junho. Posteriormente, o festival retoma o seu programa na quarta-feira, 5 de junho, com a "Accademia del Piacere", que apresentará "'Rediscovering Spain: fantasías, diferencias y glosas", num espetáculo com a violagambista Fhami Alqhai e a bailaora Ana Morales (Prémio Nacional de Dança, 2022). 

Um dos pontos altos do festival terá lugar na quinta-feira, a partir das 20: 00 horas, no Palácio de Congressos, com o concerto da Orquestra da Extremadura (OEX), dirigida por Andrés Salado, com Ana Vidovic, uma das guitarristas mais reconhecidas no panorama musical mundial, que interpretará uma das obras mais populares da música espanhola, o "Concierto de Aranjuez", escrito por Joaquín Rodrigo em 1939 e que faz parte do repertório universal de todas as orquestras e guitarristas, sendo uma das obras contemporâneas mais executadas no mundo. O programa completa-se com a Sinfonia do Novo Mundo n.º 9, composta por Antonín Dvorák em 1893. 

No sábado, 8 de junho, o Festival Ibérico de Música continua de manhã com "Música en la calle/música na rua", a partir das 12h00, em diferentes praças do centro histórico de Badajoz, onde actuarão alunos de conservatórios e escolas de música de Badajoz e de Portugal. 

No mesmo dia, às 20:30, o grupo português Sete Lágrimas interpreta "Diáspora portuguesa. Sons do velho e do novo mundo", na Igreja de La Concepción, às 20h30. Diáspora portuguesa" é o projeto mais conhecido deste grupo, que explora as memórias coletivas, linguísticas e históricas de países dos cinco continentes que estiveram em contacto com Portugal nos últimos 500 anos.

Por outro lado, o Festival Ibérico de Música chegará às localidades de Cheles e Alconchel com o XIV Festival Jovem, a secção dedicada aos estudantes de música e jovens intérpretes de Espanha e Portugal. Esta edição contará com a presença do percussionista Sergio Pérez de Vega na sexta-feira, 7 de junho, na Casa de la Cultura de Cheles, às 20h30, enquanto no domingo, 9 de julho, a flautista Julia Fernández Hurtado de Mendoza dará um concerto na Igreja de Nuestra Señora de los Remedios em Alconchel, às 13h30.

O Festival Ibérico de Música é organizado pela Sociedad Filarmónica de Badajoz, uma associação independente sem fins lucrativos, de carácter cultural e social, que surgiu em 1996 com o objetivo de promover, apoiar, coordenar e organizar atividades relacionadas com a divulgação e o ensino da música na Extremadura, ano em que o Festival passou a ser gerido pela Sociedad Filarmónica, assumindo a sua organização e programação.

O evento conta com o patrocínio da Junta da Extremadura, da Diputación de Badajoz e do Câmara Municipal de Badajoz, bem como do Consulado de Portugal em Sevilha e do Instituto Camões I.P., e com o apoio do Gabinete de Iniciativas Transfronterizas, do Consorcio López de Ayala e do FestClásica (Asociación Española de Festivales de Música Clásica de España), do qualforma parte o Festival Ibérico de Música de Badajoz.

Também colaboram com o festival e com a Sociedad Filarmónica de Badajoz o Conservatório Superior de Música "Bonifacio Gil" de Badajoz, o Conservatório Profissional "Juan Vázquez" de Badajoz, a Orquestra da Extremadura, o Certamen Internacional de Jóvenes Intérpretes "Pedro Bote" de Villafranca de los Barros, Concurso de Jóvenes Músicos "Ciudad de Almendralejo", organizado pelo Conservatório Oficial de Música de Almendralejo, o Certamen Intercentros Melómano da Fundación Orfeo e o Concurso Internacional de Piano Paloma O'Shea de Santander, com os quais assinou acordos de colaboração.

Imagen
Programa

Documentos adjuntos